terça-feira, maio 30, 2006

não é o preferido

Não é o meu preferido, não saberia escolher um. Mas é, sem dúvida, aquele que mais vezes passa no meu circuito interno.

"cala-te, a luz arde entre os lábios
e o amor não contempla, sempre
o amor procura, tacteia no escuro,
esta perna é tua?, é teu este braço?,
subo por ti de ramo em ramo,
respiro rente à tua boca,
abre-se a alma à língua, morreria
agora se mo pedisses, dorme,
nunca o amor foi fácil, nunca,
também a terra morre."



Eugénio de Andrade