terça-feira, junho 13, 2006

mind the gap

Para as pessoas que, como eu, guardam muitos pedaços e criam grandes expectativas, o presente pode ser um lugar bem desconfortável. Entre o que fomos e aquilo que ansiamos ser, este é o único sítio que não serve. E vamos brincando aos intervalos, para que o tempo passe mais depressa, esquecendo que ele é mais que um segmento de recta: o único percurso possível para chegarmos de um ponto ao outro.